Tema da pesquisa escolhido. E agora?

Depois de pensar muito, você já teve a ideia e definiu o tema do seu projeto, definiu qual o problema que guiará a sua jornada. Embora isso seja um passo importante, é agora que o trabalho pesado começa: como encontrar a solução para o problema?

A resposta é simples: comece descobrindo tudo sobre o problema!

Fonte: giphy

É necessário compreender bem o problema e todas as soluções existentes. Com esse conhecimento todo em mãos, você consegue analisar quais estratégias já foram testadas, quais funcionaram e quais são perda de tempo.

Mas acalme-se, para iniciar essa descoberta, você precisará de:

 

  • Pesquisa bibliográfica

 

A pesquisa bibliográfica é a etapa onde você lerá bastante. Trata-se da busca de informação em fontes confiáveis, como artigos publicados em revistas científicas, livros técnicos, trabalhos de dissertação de mestrado, teses de doutorado, etc. Essa é uma das partes mais trabalhosas da pesquisa, afinal não existe um limite máximo de artigos que você deve ler – e quanto mais pesquisar, mais vai descobrir. Busque, pesquise e leia até você se sentir confiante em relação aos seus conhecimentos no assunto.

Fonte: apsum

Leia muuuito!

2) Conversas com especialistas na área

Conversar com pessoas que tenham muito conhecimento sobre o tema da sua pesquisa é fundamental. Embora muitas vezes as coisas pareçam simples no papel, na hora de colocar na prática pode ser muito mais complicado. Por isso, é fundamental conversar com pessoas que já passaram por essa experiência, ou por experiências semelhantes, afinal elas saberão guiar pelos melhores caminhos e poderão dar dicas valiosíssimas.

Encontre e converse  com essas pessoas, sejam professores de escola, professores universitários, pesquisadores, técnicos, graduandos, empreendedores, etc.

Fonte: revistaensinosuperior

Absorva todo o conhecimento possível!

3) Conversas com pessoas atingidas pelo problema

Antes de tudo, a pesquisa é uma ferramenta que auxilia na compreensão da natureza e na melhora da qualidade de vida das pessoas. Ela é feita por pessoas e para pessoas – portanto é fundamental ver o problema não só pelas páginas de um artigo científico, mas também pelos olhos da pessoas que são impactadas por eles. Somente assim você terá conhecimento suficiente para propor algo que funcione e que seja praticável. Afinal, não adianta criar um aplicativo para ajudar alguém se essa pessoa não usa celular, certo?

Converse com as pessoas atingidas pelo problema e compreenda quais são as dores delas, ou seja, o que realmente a incomoda, além de como são seus estilos de vida. Como elas interagem com o problema? É possível que, nessa interação, você descubra informações tão ou mais importantes do que aquelas descobertas em pesquisa bibliográfica.

Fonte: jornalggn

Quem entende melhor do problema se não quem foi atingido por ele? Na foto, moradores do distrito de Bento Rodrigues, em Mariana (MG), logo após o rompimento da barragem de Fundão.

Essa “peneira” ajudará a definir o rumo da sua pesquisa. Ou, então, vai mostrar a você que esse problema já possui uma solução. Sendo assim, a sua tarefa pode ser: encontrar uma forma de levar essa solução até as pessoas, ou uma forma de tornar isso mais acessível, ou então… escolher outro problema que vai nortear a sua pesquisa. Existem muitas possibilidades.

Você só saberá qual caminho seguir quando descobrir o máximo de informações sobre o seu tema de pesquisa!

E aí, está pronto para ir adiante na sua pesquisa?


Esse texto faz parte do e-book “Da Imaginação ao Papel: A jornada das ideias”. Para continuar lendo, baixe o e-book – de graça – aqui!

Comentários

comentários