Nós acreditamos que compartilhar conhecimento sobre pesquisa e o potencial da iniciação científica é transformador! Servindo como uma das portas de entrada de estudantes e professores na ciência, uma de nossas missões é oferecer conteúdos de qualidade, abertos e acessíveis.

.

.

A Coleção Decola Beta de materiais didáticos é composta por 13 Guias de Conteúdo e 5 etapas de Atividades-Desafio que, embasadas pelo método científico, norteiam o trabalho com ciência e desenvolvimento de projetos científico na Educação Básica. Estes materiais podem ser usados de forma independente por estudantes ou apresentados pelo professor orientador(a) a jovens cientistas.

Nesta página, você encontra a coleção de Desafios.

Para acessar a coleção de Guias de Conteúdo, clique aqui.

.

Desafios

CLIQUE NA IMAGEM ABAIXO PARA FAZER O DOWNLOAD DOS MATERIAIS:

.

ETAPA 1: PREPARAR

Plano de Vôo : guiar a construção do documento formal de planejamento da pesquisa, visto a importância de um cronograma coeso e organizado.

Quem vai me orientar? : auxiliar jovens cientistas que desejam iniciar a desenvolver uma pesquisa científica na escola a encontrar e convidar um professor ou professora para ser sua orientadora, formando um time de pesquisa.

Meu time de pesquisa : construir e integrar um time unido e engajado para o desenvolvimento da pesquisa.

Despertador Científico : orientar a decisão por um problema do mundo, pergunta norteadora e assuntos de interesse com origem na sua curiosidade! Aqui, é importante se conectar com assuntos e questões que te intrigam, exercitando a capacidade de formular perguntas que guiarão o projeto e indicarão as áreas do conhecimento a serem investigadas ao longo do projeto de pesquisa.

ETAPA 2: APONTAR

Mergulho Científico : buscar mais informações sobre assuntos importantes relacionados ao seu problema de pesquisa, conhecendo mais sobre áreas do conhecimento relevantes ao projeto. Também é um objetivo aprender a encontrar e comparar diferentes fontes de informações, identificando-as quanto aos seus prós e contras.

Conversa com especialista : incentivar que você contate pessoas especialistas na área do seu projeto, se integrando a uma rede de pesquisa e buscando sugestões junto a quem trabalha no assunto.

Conversa com público-alvo : estimular um momento de interação e conexão entre sua equipe e o público-alvo do seu projeto, ou seja, para quem ele é interessante/serve. Esse momento propicia informações para que os projetos sejam desenvolvidos de forma mais conectada com a
realidade de quem vivencia a situação/problema que você quer investigar e tentar resolver.

Delimitando o tema da pesquisa : definir, a partir do embasamento teórico relacionado à pesquisa, qual será o enfoque trabalhado no projeto científico. Considerando-se recursos (infraestrutura, tempo, etc.) disponíveis, é preciso decidir qual será o tema da pesquisa dentro do contexto da pergunta norteadora e de sua questão problema.

Plano de Pesquisa : guiar a construção do documento formal de planejamento da pesquisa, visto a importância de um cronograma coeso e organizado.

ETAPA 3: EXPERIMENTAR

Mão na Massa : iniciar a parte prática da pesquisa! Esse é o momento de colocar a mão na massa e executar a parte de metodologia do seu Plano de Pesquisa!

ETAPA 4: DOCUMENTAR

Relatório de Pesquisa : incentivar a comunicação dos resultados de sua pesquisa em um documento oficial. Incentivar a análise, a discussão e a comparação dos dados da pesquisa entre si e com outros trabalhos da literatura científica.

ETAPA 5: DIVULGAR

#decolabetaexplica : realizar uma ação de divulgação científica em uma linguagem
acessível, de forma divertida, contribuindo para a popularização de ciência.

Inscrevendo em uma feira de ciências : incentivar sua participação em feiras de ciência, que são o principal local de troca e interação entre jovens cientistas e a sociedade, além de apresentar os resultados de sua pesquisa para a sociedade!

Saindo da bolha : organizar e realizar uma experiência presencial de divulgação científica para círculos próximos, causando um impacto na comunidade local, além de desenvolver suas habilidades para falar sobre o projeto em linguagem acessível.

.

Qual a história destes materiais?

.

Entre 2016 e 2019, estes materiais eram restritos para uso exclusivo dos estudantes, mentores e professores que participavam do Programa de Iniciação Científica Decola Beta. Nesses 4 anos, pudemos realizar 4 edições do Programa Decola Beta para estudantes, 4 edições da
Experiência Beta e 1 edição do Programa Decola Beta Professores. Destes programas, participaram mais de 900 estudantes, professores e pós-graduandos, e foram essas pessoas que fizeram com que o CB chegasse a 152 cidades e 23 estados do Brasil, além de outros 5 países.
Em 2020, após 4 anos testando e aprimorando esta coleção, decidimos realizar o que já era um sonho: disponibilizar todo nosso conteúdo de forma aberta ao público.

Fazemos isso porque acreditamos no potencial de jovens cientistas e somos apaixonados pelo poder transformador que a ciência tem. Quando jovens protagonizam projetos de pesquisa científica, mudam sua forma de perceber o mundo e, consequentemente, de interagir com ele. Basta ligar a televisão, olhar a internet ou andar pelas ruas para perceber que o mundo está cheio de problemas que esperam por uma solução. No ensino formal, geralmente não há espaço dedicado a pensar de forma crítica em resolver esses problemas. Acreditamos que uma das formas de mudar essa realidade é dar espaço e condições para que jovens determinados possam fazer questionamentos sobre os problemas que os cercam e buscar respostas a essas perguntas usando a ciência.

Fazemos parte de uma geração que não quer olhar para os problemas e apenas apontar culpados. Queremos mais: saber como usar o conhecimento para colocar em ação as ideias de como tornar o mundo o lugar em que queremos viver. Para isso, precisamos compartilhar nosso conhecimento.
Assim, somos cientistas, pois estamos buscando entender o mundo, sua beleza e suas mazelas; e, ao sermos Beta, reconhecemos a necessidade que temos de nos transformar, a cada dia, na melhor versão de nós mesmos.

.

Esperamos que gostem e estamos à disposição para troca de ideias, sugestões e outros feedbacks em nosso email: contato@cientistabeta.com.br

.

Quais são os objetivos desses materiais?

.

Ao utilizar os materiais disponibilizados pelo Cientista Beta no desenvolvimento da sua pesquisa, estudantes têm condições de desenvolver habilidades, compreender o método científico, fazer um plano de pesquisa, manter um diário de bordo com os registros da
pesquisa, colocar a mão na massa e obter resultados, fazer um relatório de pesquisa, um pôster e compreender e dominar a escrita científica. Além disso, os estudantes também desenvolvem condições de se inscrever e participar de feiras de ciências.
Os materiais apresentam, além de conteúdos relacionados ao método científico, conteúdos sobre habilidades comportamentais, de diálogo e de trabalho em equipe. Ao realizar sua pesquisa com o apoio destes materiais, nosso objetivo é que os estudantes consigam vivenciar experiências que permitam o exercício de liderança, de protagonismo, de ensinar algo a alguém, de receber e lidar com feedback, trabalhar em equipe e serem capazes de resolver problemas sozinhos.
O nosso objetivo principal com o uso destes materiais está no “delta”. Delta é a variação percebida entre o estado final e o inicial de determinado processo. É isso que nos interessa: que o estudante, ao finalizar uma pesquisa, olhe para trás e veja que algo está diferente com relação a quando começou. 

Não está no centro do nosso propósito que os jovens criem um projeto que conquista prêmios, alto grau de complexidade e desenvolvimento. Essa é uma consequência para alguns, e certamente ficamos felizes quando isso ocorre. No entanto, nosso foco é o processo, é a formação do jovem. Se hoje ele não criar a solução mais eficiente, se hoje não for multipremiado, está tudo bem. Guardamos a certeza de que no futuro ele poderá gerar contribuições ainda maiores para a sociedade, pois se tornará alguém ativo, mais capaz de ler o mundo e de imaginar formas de transformá-lo, e não apenas o criador de uma invenção isolada. Dentro das possibilidades das invenções, nosso olhar está voltado para inventar um novo jovem cientista, em uma versão beta permanente. Esse jovem é, por si só, a solução para os problemas que enfrentamos do século XXI, não apenas o seu projeto.